10 tendências de marketing para 2017

20 dez
2016

2017 já está chegando e alguns estudos de Marketing separaram algumas tendências que ganharão força no próximo ano!

O ano de 2016 se firmou com grandes mudanças, reveja alguns posts que tratavam das tendências deste ano: Dados da Internet 2016 no Brasil e no MundoPrevisões para o Marketing em 20165 Tendências de Consumo de 2016 e Tendências criativas para 2016.

E para você que procura se preparar para 2017, além de ler este post (é claro) é bacana ver estes outros posts: olhar nas tendências do futuro das imagens e, também, Plano de Marketing para 2017 – programe-se por este calendário!

Sabe-se que a procura por visibilidade nas mídias digitais é algo que não tende a mudar durante os anos, porém como aumentar a visibilidade da marca muda conforme o  público muda, ou seja, a cada ano o público espera coisas novas e para se manter sempre atual é preciso responder á isso!

Separamos 10 tendências de Marketing para 2017, dessa maneira você pode inovar e conquistar ainda mais seu público no próximo ano. Confira e mão na massa:

1- Aumentar o foco na experiência do consumidor

A experiência do consumidor é o coração do marketing de qualquer empresa, as empresas que atingem grande sucesso no Marketing buscam sempre abraçar filosofias centradas no cliente para criar estratégias de marketing eficazes e transformações positivas.

Ninguém, principalmente o consumidor, quer ser apenas mais um número. Hoje o público está mais móvel, conectado, informado e quer ser visto além de um mero cliente.  Desta forma, as marcas devem investir em uma relação construtiva e de reciprocidade.

Ações ligadas ao marketing de relacionamento e à proporcionar experiências interessantes podem construir certa lealdade e um envolvimento em longo prazo com seu cliente, ao invés de vendas rápidas e de curto prazo.

Considere a Netflix, como exemplo, além de identificar as preferências dos usuários e disparar e-mails marketing direcionados, trabalha experiências interessantes em seus lançamentos: como esta ação em revistas e jornais para a temporada de Narcos.

2- Investimentos em mensuração e engajamento:

Com a notícia de que o Facebook inflou dados sobre visualização de vídeos nos últimos 2 anos, além de perder crédito a empresa também coloca em cheque que outras redes sociais talvez não contam uma história completa em suas análises de dados.

Assim, a mensuração deverá feita com propósito: esperando que os objetivos de negócios se relacionem com lucro, receita, retenção de clientes e satisfação.

O Return On Investment, ou ROI, é um indicativo econômico fundamental para qualquer negócio, porque representa a relação entre o retorno e o que foi investido. Há sempre aquela máxima de que: Marketing não é gasto é investimento!

Todavia, você não deve comprometer o fluxo de caixa com isso (o recomendado para empresas pequenas que direcionem entre 3-5% de sua receita para o marketing, já as maiores a Small Business Administrations recomenda um investimento de 7-8%), é claro que isso tudo muda de segmento para segmento!

kit_app_marketing-1

3- Tecnologias para automação e leitura de dados

Ao conectar e-mails, mídias sociais e estratégias de marketing é preciso que os profissionais usem de banco de dados, armazenando informações sobre os diferentes tipos de públicos e, assim, ser possível direcionar suas ações para cada um deles.

Muitas tecnologias vêm contribuindo para isso e as grandes empresas já começaram a apostar e investir em novas ferramentas de marketing para aliar a experiência do consumidor com a mensuração eficaz dos dados. Já discutimos neste artigo, como o Netflix usa muito bem de dados para melhorar seu posicionamento.

Além disso, com a automação é possível otimizar  tarefas e o tempo de trabalho dos profissionais de marketing. As previsões para 2017 são de que a automação de conteúdo será um grande diferencial, realidade que já vem despontando no mercado internacional.

Segundo pesquisa do Hubspot, percebe-se que o controle é uma das grandes dificuldades dos profissionais de marketing, que pode ser sanada com uma boa automação da estratégia como um todo.

Já até gravei um vídeo falando como pequenos empreendedores podem usar de rastros digitais para atrair clientes:

É claro que é um exemplo simples, mas reafirma a oportunidade, principalmente se tudo isso estiver automatizado.

 

4- Personalização

Enquanto o marketing trabalha para individualizar tudo, desde latas de Coca-Cola até sapatos, a customização em massa transformou-se em personalização.

Para algumas empresas, isso significa garantir que os pontos de contato da marca e os clientes são específicos e únicos. Para outros, é simplesmente simplificar o processo de compra e torná-lo mais intuitivo.

A personalização já atingiu muitas empresas, que passaram a oferecer serviços de personalização de seus produtos, como a Adidas e a Nike, no marketing isso ainda é muito novo e é um campo a ser amplamente explorado. 

produto_nike_personalizacao_nike

Personalização de produtos – Nike

5- Conteúdos em vídeo

Sim, o conteúdo ainda é rei, mas o tipo de conteúdo que domina a web está mudando.

Conteúdo social, opiniões, blogs, artigos e eBooks são ainda aspectos cruciais do marketing, mas o vídeo vem ganhando muita força. As marcas que não conseguem incorporar imagens e vídeos serão deixadas à margem.

O vídeo, por ser rápido e de fácil compreensão, é uma linguagem interessante para levar ao seu público um conteúdo de qualidade.

Em pesquisa do Hubspot, 55% das pessoas disseram que são ávidos consumidores de vídeos, mas apenas 29% deles costumam reler artigos em blogs.

6- Mais marketing em redes sociais

Precisamos mudar a maneira como pensamos sobre as redes sociais. As estratégias de redes sociais devem comercializar menos e vender mais. Muitas vezes, as marcas usam as redes para divulgar conteúdos altamente genéricos, conteúdos que as pessoas já estão ignorando.

Segundo pesquisa do HubSpot, as mídias sociais continuarão estourando, principalmente na América Latina, onde o social selling é uma prioridade. E as grandes companhias irão investir bastante em conteúdos para essas plataformas.

É importante lembrar da constância e periodicidade, já que, segundo Marketing Tech Blog,  46% dos usuários pesquisam nas redes sociais antes de adquirir um produto ou serviço.

7- Abraçar a Internet das Coisas

A Internet das Coisas ainda está no princípio, mas já falamos de um exemplo aqui e aqui. É esperado que em 2017 muitos empresários percebam seu potencial e apostem na Internet das Coisas que já tem bilhões de dispositivos conectados e podem aproximar empresários de clientes.

De acordo com o infográfico da Marketo, 51% dos renomados profissionais de marketing esperam que IoT irá revolucionar a área até 2020  (principalmente em uma visão de marketing orientada por dados):

  • Analisando o hábito de compra do cliente através das plataformas que os clientes usam.
  • Dados  obtidos sobre as formas como os consumidores interagem com dispositivos e produtos (os “dispositivos conectados”).
  • Obter uma visão melhor sobre a jornada de compra e em que estágio do cliente está.
  • Interações em tempo real, notificações e, claro, anúncios direcionados (totalmente contextuais).
  • O campo de atendimento ao cliente onde os problemas podem ser resolvidos rapidamente.

8- Chatbots e Inteligência Artificial são mainstream

Fornecer experiência positiva ao cliente significa aproveitar o poder da tecnologia. Imagine você dando conselhos a alguém sobre onde comer, mas não sabe se ela gosta de comida picante ou tem uma intolerância à lactose, sua dica pode ser desastrosa!

Mas agora imagine um chatbot que conhece seus gostos, desgostos e necessidades e pode orientá-lo sobre onde comer, como viajar, ou onde fazer compras.

Chatbots podem usar Inteligência Artificial, aprendizagem profunda, e migalhas de dados de toda a web para entender e orientar o comportamento do consumidor.

Seja pela Siri (Apple) ou até via Watson (IBM):

9- Marketing de tempo certo

O marketing em tempo real – os olhos abertos para as oportunidades de mercado  – tem crescido nos últimos anos.

Agora usamos dados para isolar o melhor momento para se conectar com os consumidores é um diferencial: o tempo real muda para o tempo certo. Veja aqui um exemplo de como a Oreo utilizou bem desse conceito.

10- Campanhas de transformação digital

Mostrar ao mercado e aos seus colaboradores como a sua marca está transformando: seja pela melhoria do produto, pelas tendências, o próprio marketing ou até no mercado.

Tudo isso afeta a experiência dos consumidores e também a visão que eles tem sobre a empresa. Vimos isso muito forte com a onda Pokemon Go e estratégias de marketing.

Marcas aproveitam da tendência do Pokemon Go para atrair atenção

Marcas aproveitam da tendência do Pokemon Go para atrair atenção

Conclusão

Podemos perceber que a experiência do consumidor é destaque na maioria das tendências, ou seja, vale muito a pena investir e aplicar essa tendência no seu Marketing Digital em 2017!

Aproveite e receba nosso material:

calendario-2017

Fonte: Forbes, Hubstop e Youtube

Thiago Martins
author

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *